Hortas urbanas – no caminho para construir a comunidade

A moradia digna é um direito reconhecido a todos mas negado a muitas famílias, que vivem em condições de habitação precárias, sem acesso a serviços básicos cujas justas exigências são invisibilizadas. Esta dura realidade levou um grupo de vizinhos de Cochabamba, Bolívia, a sonhar com a possibilidade de um espaço de vida em comunidade. A Organização de Inquilinos e Inquilinas de Cochabamba (OINCO) enfrenta uma dura luta, devido à comercialização e especulação da terra urbana, passando pela tarefa de fazer distintos esforços para construir uma comunidade e moradias comunitárias. Um desses esforços permitiu o acesso a uma terra em comodato, que permite aos membros do OINCO produzirem alimentos saudáveis, organizando a Escola Popular de Agroecologia, como parte de sua filosofia de aprender e ensinar a gerenciar o solo.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2yMqX4S

Responsável: Organización de Inquilinas y Inquilinos de Cochabamba (OINCO)

Local de implementação: Cochabamba

Contato

Site: http://www.fundacionabril.org/

E-mails:

Descrição

No ano de 2008, um grupo de pessoas angustiadas pela situação de suas moradias precárias, pelos altos preços de aluguel, pela ausência da oportunidade de acessarem suas próprias casas e por serem vítimas do mercado de terra, decidiram formar uma organização que procura reivindicar e articular a necessidade de milhares de famílias de Cochabamba para acesso a habitação. A OINCO é uma organização aberta, sem fins lucrativos, com aproximadamente 4.000 membros. Com esta organização, eles conseguiram convocar algumas instituições e profissionais que acreditaram em seus sonhos e ajudaram a desenhar um “projeto de condomínio comunitário de caráter ecológico em terras comunitárias”. O projeto inclui o uso comunitário do espaço, o gerenciamento de hortas e o tratamento de resíduos e esgoto. Ou seja, é uma oportunidade para definir e exercer opções de vida comunitária, desfrutando de uma casa própria e constituindo um novo tecido urbano baseado na propriedade coletiva.

Objetivos

Articular a luta pela moradia popular com um processo de controle social e produção de alimentos para a população sem teto de Cochabamba.

Público-alvo

População comunitária

Resultados

Após a organização inicial, a instituição se conformou em um espaço de ensino e aprendizagem que poderia ir além da OINCO, com o objetivo de gerar atitudes favoráveis para a agricultura urbana, contribuindo para a segurança alimentar familiar, saudável e diversificada, mas, além disso, ser um primeiro espaço para viabilizar a comunidade, a base da OINCO. Nesse sentido, as hortas foram nomeadas como Escola Popular de Agroecologia OINCO, nas quais os membros da comunidade têm a oportunidade de passar por um amplo processo de formação. Os cursos foram administrados em parceria com a Faculdade de Agronomia de Cochabamba e educaram as pessoas para realizar bioinsumos e aprender sobre produção orgânica. A escola agroecológica está aberta a famílias e grupos que desejam aprender a construir e gerenciar produção orgânica em hortas urbanas e se consolidou como referência na cidade.

Temas