Justa Trama – Cadeia Ecológica do Algodão Solidário

A Central Justa Trama é a maior cadeia produtiva no segmento de confecção da economia solidária articulando 600 cooperados/associados em cinco estados: Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Ceará e Rondônia. Este processo que inicia no plantio do algodão agroecológico vai até a comercialização de peças de confecção produzidas com este insumo. Assim, a Justa Trama é uma trama entre vários empreendimentos da economia solidária e justa pela busca incansável de justiça entre nós e com o mundo em todas as relações que construímos, inclusive informando ao consumidor que adquire ou usa os produtos, que tem o orgulho de saber por quem é plantando o algodão, por quem é fiado e tecido e por quem é confeccionado.

Responsável: Cooperativa Central Justa Trama (

Local de implementação: Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Ceará e Rondônia

Contato

Telefones: (51) 3344-3454 /

Endereço: Rua Afonso Paulo Feijó, 501 - Sarandi - Porto Alegre (RS)

Site: www.justatrama.com.br

E-mails: contato.justatrama@gmail.com

Descrição

A JUSTA TRAMA nasceu a partir do sonho dos empreendimentos da confecção, naquele momento vinculados aos Complexos Cooperativos propostos pela ADS-CUT, de terem um produto próprio que, do começo ao fim, fosse desenvolvido por trabalhadores solidários, fazendo diferença não só em relação ao seu modo de produção e valorização do trabalho, mas a sua qualidade e preocupação com o meio ambiente: a cadeia do algodão agroecológico. A proposta foi se fortalecendo através dos encontros entre os empreendimentos ocorridos durante atividades da Economia Solidária, com destaque as reuniões do Fórum Brasileiro de Economia Solidária – FBES e da UNISOL Brasil.

A partir da demanda de produção das bolsas para o Fórum Social Mundial 05, realizado em Porto Alegre, durante o ano de 2004, veio a possibilidade concreta de colocar em prática este sonho. A seguir, as etapas e os empreendimentos que hoje fazem parte da JUSTA TRAMA:

– A primeira etapa do processo é realizada com a produção do algodão agroecológico pela Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá – ADEC, localizada no município de Tauá, no Estado do Ceará, uma associação de agricultores familiares que fornece as sementes aos produtores e que, após o cultivo, beneficia e comercializa o algodão em pluma para o restante da cadeia.

– A segunda e a terceira etapa são realizadas pela Coopertextil, localizada em Pará de Minas – Minas Gerais. São 289 cooperados(as), sendo aproximadamente 60% mulheres. É a responsável pela fiação e tecelagem da Justa trama.

– A quarta etapa do processo produtivo compreende a confecção das peças de vestuário:

  • Cooperativa de Costureiras Unidas Venceremos – UNIVENS, localizada em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. É também onde está a sede, o estoque e a administração da Justa trama.
  • Cooperativa Fio Nobre dos Tecelões da Região do Município de Itajaí. Compõe o quarto elo da cadeia produtiva com desenvolvimento do design e confecção das roupas em tecido plano como camisas, vestidos, calças, shorts e blusas, peças em tricô e bolsas em tear.

– A quinta etapa é a extração e beneficiamento das sementes da Amazônia realizada pela Cooperativa de Trabalho dos Artesãos do Estado de Rondônia – AÇAI, localizada em Porto Velho, Rondônia. Após beneficiadas, as sementes são aplicadas em forma de bordados e botões, ornamentando as peças de vestuário da JUSTA TRAMA.

Objetivos

A Justa Trama tem como objetivo articular empreendimentos de economia solidária com foco na geração de trabalho e renda para os empreendimentos envolvidos diretamente na produção e também nas comunidades onde estão inseridos trazendo aos envolvidos equidade de gênero e social. Tem ainda como missão articular e integrar os empreendimentos da cadeia produtiva da fibra ecológica através do plantio, transformação, produção e comercialização, promovendo a economia solidária, a sustentabilidade, a agroecologia, o comercio justo, consumo consciente, a preservação do meio ambiente e a distribuição justa de renda para seus associados e a sociedade em geral.

 

Público-alvo

Trabalhadores(as) organizados(as) em empreendimentos da economia solidária (mulheres e homens agricultores, fiadores, tecedores, costureiras, artesãos, coletores e beneficiadores de sementes) e consumidores no geral

Resultados

Atualmente, são mais de 700 trabalhadores e trabalhadoras, atuantes na agricultura agroecológica, fiação, tecelagem, confecção, extração e beneficiamento de sementes e artesanato, distribuídos em seis estados da Federação (Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo, Ceará e Rondônia), integrantes de quatro regiões do Brasil. Além de buscar a sustentabilidade dos empreendimentos que compõem a cadeia, a JUSTA TRAMA tem contribuído com a ampliação e o surgimento de novas cadeias produtivas.

Video

Temas