O caminho ao território solidário

As províncias de Guanentá, Comunera e Vélez, no departamento sul de Santander, Colômbia, abriram um processo em que o tecido sócio-organizacional de seus habitantes e a economia solidária sob a forma de cooperativas tentaram marcar a história contemporânea desta região, rompendo paradigmas, através de de um sistema econômico financeiro administrado por cooperativas do povo e para o povo e a construção de um território solidário com uma lógica de desenvolvimento que parte do território e da identidade e cultura de seus habitantes. O que começou há cinquenta anos por iniciativa de várias pessoas e apoiado pela cooperação para o desenvolvimento é atualmente sustentado por sua própria dinâmica, com capacidade e projeção no futuro.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2KsAYca

Responsável: Coomuldesa

Local de implementação: Santander

Contato

E-mails:

Descrição

A cooperativa de poupança e crédito Coomuldesa foi fundada há 54 anos em Galán, uma cidade do departamento de Santander, na Colômbia. Atualmente, a Coomuldesa emprega trezentas pessoas e mantém 24 escritórios na maioria dos municípios das províncias do sul do departamento de Santander (Guanenta, Comunera e Vélez), na capital Bucaramanga e aventurou-se para municípios de outras províncias de Santander e e do departamento de Boyacá. Tem mais de cem mil associados, o que corresponde para cerca de 40% da população do território. Esta alta porcentagem só é possível devido à confiança que as pessoas têm no cooperativismo. Coomuldesa conseguiu crescer sem perder de vista o benefício direto do associado, e reverte seus lucros em um desenvolvimento com inclusão social. Para este fim, Coomuldesa criou sua própria Fundação, que desenvolve atividades com orientação social e comunitária, encontrando sua base de existência no compromisso da cooperativa com sua responsabilidade social. 29.000 poupadores da cooperativa têm menos de 18 anos, razão que apoia a ideia da Fundação Coomuldesa de apostar em atividades voltadas para a juventude. A gama de iniciativas da Fundação é muito ampla, atingindo no ano passado mais de 87 mil beneficiários, entre parceiros e comunidade em geral. Atividades de formação, promoção e capacitação, além da assistência técnica e da pesquisa, são componentes importantes da Fundação.

Objetivos

Articular a comunidade a partir de inciativas econômicas, educacionais e culturais em torno da ideia de “território solidário”.

Público-alvo

Resultados

Entre as atividades mais visíveis da Fundação, estão os festivais de poupança para crianças e jovens e o programa Exploradores Solidários. O programa é direcionado para crianças e jovens, resgatando a história e a identidade local da região. No campo educacional, a fundação tem o Instituto Coomuldesa, que oferece programas acadêmicos em comunicação comunitária, recreação, esporte, cultura, serviços financeiros e contabilidade do setor solidário. Os jovens que passaram pelo Instituto geralmente conseguem uma inserção no mercado de trabalho rapidamente. Além disso, há dois anos, a fundação assumiu a responsabilidade de Colegio Cooperativo San Gil, constituído no patrimônio do município. Além disso, Resander é uma rede regional de mídia comunitária de comunicação que se consolidou com a ajuda da Fundação, sendo atualmente um parceiro estratégico da unidade de mídia da fundação, a partir de rádio, televisão e curtas-metragens. Todas essas empresas e serviços têm algo em comum: são casos emblemáticos que mostram que é viável fornecer serviços de qualidade à comunidade, substituindo o lucro pelo serviço ao bem comum. A aliança entre a Fundação Coomuldesa, a rede Resander e Unisangil iniciou pesquisas em torno do conceito e da identidade dos “territórios solidários” com vista a encontrar diretrizes que permitem colocar com maior clareza o território solidário no imaginário do povo. Para a Coomuldesa, o cooperativismo e a economia solidária juntos com a identidade cultural e território são as variáveis ​​para construir um desenvolvimento mais favorável que compete com o modelo baseado no desenvolvimento convencional.

Temas