Prêmio Educação Além do Prato

A Prefeitura de São Paulo, por meio do então Departamento de Alimentação Escolar (DAE) da Secretaria Municipal de Educação, lançou, em maio de 2014, o Prêmio “Educação Além do Prato”, um prêmio para promover a mobilização da comunidade educacional em ações sobre alimentação com a participação efetiva dos alunos e merendeiros.

Nome da entidade ou responsável: Coordenadoria de Alimentação Escolar, Secretaria Municipal de Educação de São Paulo


Rede Cooperativa de Mulheres Empreendedoras

Criado em 1997, o programa acolhe empreendimentos de diferentes atividades econômicas, tais como culinária, artesanato, costura, reciclagem, serviços. Por meio de reuniões mensais, realizadas toda última quinta-feira do mês, busca o estímulo ao desenvolvimento de um espaço de troca, articulação e empoderamento, onde se estabeleçam laços de parcerias e intercâmbios com o compartilhamento de informações, formação, assessoria e divulgação, além de possibilitar a organização do trabalho para escoamento da produção de forma partilhada, presentes nas ações de valorização e respeito à diversidade nas questões de gênero, etnia, orientação sexual, origem geográfica, direitos humanos, cidadania e a sustentabilidade como uma prática cotidiana e de responsabilidade individual.

Nome da entidade ou responsável: Asplande Assessoria & Planejamento para o Desenvolvimento


Produção Ecológica de Alimentos Diversos

Agricultoras e agricultores de pequeno porte realizam a produção ecológica e orgânica de diversos alimentos.

Nome da entidade ou responsável: Centro de Tecnologias Alternativas Populares - CETAP


Fazer é Pensar: Que Cidade Queremos?

Para tentar promover o desenvolvimento sustentável da cidade de Porto Alegre, a ONG Cidade iniciou em 2015 o projeto “Fazer é Pensar: Que Cidade Queremos?”. Trata-se de uma série de iniciativas divididas em dez temáticas, que vão de Patrimônio Histórico e Planejamento Urbano até Resíduos Urbanos, para discutir e propor alternativas de desenvolvimento em Porto Alegre. O projeto também prevê o desenvolvimento de uma rede de articulação entre cidadãos, movimentos sociais, acadêmicos, profissionais e grupos em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Nome da entidade ou responsável: Cidade (Centro de Assessoria e Estudos Urbanos) e IAB-RS (Instituto de Arquitetos do Brasil)


Aliança pela Água

Surgida no seio da maior crise hídrica da história de São Paulo, a Aliança é uma coalizão da sociedade civil para contribuir com a construção de segurança hídrica em São Paulo, por meio da coordenação das várias iniciativas já em curso e da potencialização da capacidade da sociedade de debater e executar novas medidas.

Nome da entidade ou responsável: Instituto Socioambiental (ISA)


Resíduo Zero

A Aliança Resíduo Zero promove o debate e a implementação de práticas de Resíduo Zero no Brasil a partir da participação cidadã. A iniciativa tem gerado práticas que transformam a cultura relacionada aos resíduos, ampliam a compreensão das relações entre produção, consumo e valorizam os recursos naturais.

Nome da entidade ou responsável: Aliança Resíduo Zero Brasil (Instituto Pólis, dentre outros parceiros)


Brechó Ecosolidário

O Brechó EcoSolidário é um grande encontro autogestionado onde os participantes têm a possibilidade de praticar o consumo sustentável e consciente trocando seus objetos usados por objetos usados de outras pessoas através da moeda social “grão”. Acontece anualmente em conjunto com um mercado de produtos oriundos de cooperativas e diversas atividades de caráter cultural (apresentações de música e dança), formativo (atividades de educação ambiental) e de saúde integral (aulas de yoga, biodança, massagem etc), promovendo assim o encontro direto de produtores e consumidores na construção de um modelo de consumo alternativo.

Nome da entidade ou responsável: Associação Rede de Profissionais Solidários pela Cidadania


Central do Cerrado – Comercialização de produtos ecossociais

A Central do Cerrado é uma central de cooperativas sem fins lucrativos estabelecida por 35 organizações comunitárias, de sete estados brasileiros, que desenvolvem atividades produtivas a partir do uso sustentável da biodiversidade do Cerrado. Funciona como uma ponte entre produtores comunitários e consumidores, oferecendo produtos de qualidade como pequi, buriti e mel coletados e processados por agricultores familiares e comunidades tradicionais no Cerrado.

Nome da entidade ou responsável: Central do Cerrado


RedeMoinho – Cooperativa de Comércio Justo e Solidário

A Rede Moinho é uma cooperativa de serviços na área do Comércio Justo e Economia Solidária, tendo nas compras e vendas de produtos da agricultura familiar, agroecológicas e da Economia Solidária sua maior expertise. A cooperativa de consumo nasceu do sonho de se criar uma estrutura de comércio diferente, integrando consumidores e produtores numa relação de confiança, transparência e parceria, valorizando a produção e variedade local.

Nome da entidade ou responsável: RedeMoinho


Movimento Slow Food

O Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos fundada em 1989 como resposta aos efeitos padronizantes do fast food, ao ritmo frenético da vida atual, ao desaparecimento das tradições culinárias regionais, ao decrescente interesse das pessoas na sua alimentação, na procedência e sabor dos alimentos e em como nossa escolha alimentar pode afetar o mundo. O Slow Food segue o conceito da ecogastronomia, buscando conjugar o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta. O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentação, utilizando produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção e consumo.

Nome da entidade ou responsável: Fundação Slow Food para Biodiversidade (internacional) e Associação Slow Food (nacional)


Abordagem sistêmica para fortalecimento de cooperativa de catadores

O projeto desenvolvido entre a Cooperal, cooperativa de catadores, e a Giral, uma empresa de consultoria focada na gestão de projetos de relacionamento entre o mundo corporativo e comunidades, esteve fincado em um abordagem sistêmica para fortalecer a cooperativa, reorientando o relacionamento com o principal parceiro da cooperativa: a prefeitura do município de Alumínio, na região de Sorocaba, interior de São Paulo. A mudança do padrão de relacionamento, partindo de uma relação baseada no serviço social para uma atuação junto aos departamentos de serviço e planejamento, foi resultado de um olhar dirigido para todo o sistema local, deixando uma perspectiva que via as cooperadas como objeto de políticas de assistência para valorizar a sua atuação como agentes de um sistema municipal .

Nome da entidade ou responsável: Cooperal (Cooperativa de Reciclagem de Alumínio) e Giral/Viveiro de Projetos


Minha Sampa – Métodos de mobilização e organização

A Rede Minha Sampa reúne moradores da capital paulista que trabalham na construção de uma cidade melhor. Conta com uma equipe de mobilizadores e comunicadores que acompanham atentamente as decisões que estão sendo tomadas pelo Executivo e Legislativo municipais e estaduais. O lema é de que “não existe participação sem informação”; assim, sempre que encontram oportunidades para que as pessoas participem de uma decisão importante, criam mobilizações e convocam a rede para agir. A proposta é influenciar a criação e adequação de políticas públicas, de acordo com o que os paulistanos de fato querem e necessitam, e afirmar a importância da participação social.

Nome da entidade ou responsável: Minha Sampa