Terraço Verde

O Terraço Verde é um movimento que articula produtos e serviços ligados à sustentabilidade urbana, fomenta sua replicação e fortalece a economia verde. Estamos em Curitiba, transformando uma área ociosa em um local para desenvolver tecnologias sustentáveis e educação.

Nome da entidade ou responsável: Terraço Verde


Associação dos Catadores de Papelão e Material Reaproveitável (ASMARE)

A ASMARE vem se consolidando como espaço de inserção ou reinserção da população de rua e catadores no mundo do trabalho. Além das atividades de catação e triagem de recicláveis, a produção artística com o uso desses materiais e a prestação de serviços também fazem parte dessa transformação social.

Nome da entidade ou responsável: Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR)


Do lixo à economia colaborativa: uma experiência sem perdedores

Uma iniciativa, lutando contra uma epidemia de cólera e despejos em o meio ambiente, em seus inícios com foco comercial gerenciado no cone leste de Lima é sua transformação em um empreendimento coletivo, com visão para a economia colaborativa gerando benefícios em o meio ambiente, social e econômico Uma história onde ninguém perde.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2tCHoM0

Nome da entidade ou responsável: Cepiloma


As minhocas de Mongui

A gestão dos resíduos sólidos orgânicos domésticos através de processos de minhocultura, realizada de forma associativa, oferece soluções com potencial futuro em termos ambientais, sociais e econômicos.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2N6meyc

Nome da entidade ou responsável: Lombriduz


Hortas urbanas – no caminho para construir a comunidade

A moradia digna é um direito reconhecido a todos mas negado a muitas famílias, que vivem em condições de habitação precárias, sem acesso a serviços básicos cujas justas exigências são invisibilizadas. Esta dura realidade levou um grupo de vizinhos de Cochabamba, Bolívia, a sonhar com a possibilidade de um espaço de vida em comunidade. A Organização de Inquilinos e Inquilinas de Cochabamba (OINCO) enfrenta uma dura luta, devido à comercialização e especulação da terra urbana, passando pela tarefa de fazer distintos esforços para construir uma comunidade e moradias comunitárias. Um desses esforços permitiu o acesso a uma terra em comodato, que permite aos membros do OINCO produzirem alimentos saudáveis, organizando a Escola Popular de Agroecologia, como parte de sua filosofia de aprender e ensinar a gerenciar o solo.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2yMqX4S

Nome da entidade ou responsável: Organización de Inquilinas y Inquilinos de Cochabamba (OINCO)


ReciclAção

Sem Imagem

A iniciativa do Morro dos Prazeres foi criada em 2012 e reconhecida como Tecnologia Social pela Fundação BB em 2015. Ela cria um ciclo autosustentável, uma vez que os recursos gerados com a venda dos resíduos sólidos coletados na favela são investidos no território. A lógica para o coletivo está em todas as etapas do processo, trazendo a figura do agente de reciclagem e dando protagonismo à educação ambiental, que vem atrelada com a atitude voluntária dos moradores de doarem os resíduos. Em 4 anos, foram coletadas 50 toneladas de material, realizadas mais de 200 ações de educação ambiental.

Nome da entidade ou responsável: Centro de Promoção da Saúde


Programa Feiras e Jardins Sustentáveis

O programa “Feiras e Jardins Sustentáveis” tem o objetivo de oferecer tratamento ambientalmente adequado para restos de podas de árvores e resíduos orgânicos de feiras livres, para serem devolvidos em forma de composto de qualidade. O processo de compostagem dos restos de feiras livres diminui o custo de operação de praças e jardins – por gerar adubo – evita o despejo de mais volume em aterros sanitários e diminui o deslocamento de caminhões e emissões de dióxido de carbono.

Nome da entidade ou responsável: Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb)


Projeto Composta São Paulo

O Composta São Paulo é a maior iniciativa de implementação e estudo de compostagem doméstica realizada no Brasil até hoje.

Nome da entidade ou responsável: Morada da Floresta


Resíduo Zero

A Aliança Resíduo Zero promove o debate e a implementação de práticas de Resíduo Zero no Brasil a partir da participação cidadã. A iniciativa tem gerado práticas que transformam a cultura relacionada aos resíduos, ampliam a compreensão das relações entre produção, consumo e valorizam os recursos naturais.

Nome da entidade ou responsável: Aliança Resíduo Zero Brasil (Instituto Pólis, dentre outros parceiros)


Abordagem sistêmica para fortalecimento de cooperativa de catadores

O projeto desenvolvido entre a Cooperal, cooperativa de catadores, e a Giral, uma empresa de consultoria focada na gestão de projetos de relacionamento entre o mundo corporativo e comunidades, esteve fincado em um abordagem sistêmica para fortalecer a cooperativa, reorientando o relacionamento com o principal parceiro da cooperativa: a prefeitura do município de Alumínio, na região de Sorocaba, interior de São Paulo. A mudança do padrão de relacionamento, partindo de uma relação baseada no serviço social para uma atuação junto aos departamentos de serviço e planejamento, foi resultado de um olhar dirigido para todo o sistema local, deixando uma perspectiva que via as cooperadas como objeto de políticas de assistência para valorizar a sua atuação como agentes de um sistema municipal .

Nome da entidade ou responsável: Cooperal (Cooperativa de Reciclagem de Alumínio) e Giral/Viveiro de Projetos