Jovens gerando renda na agricultura familiar

Jovens de comunidades rurais do Baixo Sul e do Vale do Jiquiriçá, na Bahia, recebem assessoria técnica para a construção e socialização de conhecimentos sobre práticas agroecológicas. Com essa intervenção educativa, os jovens puderam qualificar suas produções e elevar suas rendas, promovendo também a soberania alimentar, o fortalecimento da agricultura familiar e a diminuição do êxodo rural nas comunidades locais, além da participação dessa juventude em associações, sindicatos e cooperativas.

Nome da entidade ou responsável: FASE - Federação de Órgãos para Assistência Social


Melhorando meu bairro

Sem Imagem

Um processo de luta de 40 famílias no centro de Lima é coordenado pela Associação Quinta Virgen del Carmen do Quinto Patio para reivindicar seus direitos contra o megaprojeto do trem elétrico como meio de transporte de massa na capital peruana.

Confira mais informações sobre esta prática no site do Almanaque do Futuro (em espanhol): https://almanaquedelfuturo.files.wordpress.com/2017/05/almanaque-del-futuro-20-web.pdf

Nome da entidade ou responsável: Asociación Quinta Virgen del Carmen del Quinto Patio


Colinas urbanas: Assentamento Humano Virgen de la Candelaria

Assentamentos humanos como o da Virgen de la Candelaria na periferia de Lima são fenômenos muito frequentes nas grandes cidades. Famílias de recursos escassos buscam um lugar para viver perto das aparentes oportunidades econômicas e educacionais da metrópole. As leis e regras exclusivas tornam a consolidação desses bairros e o progresso de seus habitantes extremamente difícil. Circunstâncias e condições forçam a maioria nas grandes cidades a encontrar uma solução de habitação informal, enfrentando uma lógica perversa de leis que não são feitas para aqueles que foram deixados de lado pelo modelo de desenvolvimento atual. Esta situação termina, muitas vezes em uma situação paradoxal: maioria da população excluída por leis que protegem os interesses do sistema em vez de responder às necessidades da maioria.

Confira mais informações sobre esta prática no site do Almanaque do Futuro (em espanhol): https://almanaquedelfuturo.files.wordpress.com/2017/05/almanaque-del-futuro-16-web.pdf

Nome da entidade ou responsável:


A via da concertação

Lideranças de mulheres, surgidas desde organizações sociais comunitárias de El Agustino e outro distritos no setor leste de Lima, compartilham suas experiências no caminho à mudança das relações com as autoridades acerca do desenvolvimento local.

Confira mais informações sobre esta prática no site do Almanaque do Futuro (em espanhol): https://almanaquedelfuturo.files.wordpress.com/2017/05/almanaque-del-futuro-7-baja.pdf

Nome da entidade ou responsável: Red de Mujeres Organizadas de Lima Este


Rompendo esquemas, conquistando o acesso

Uma moradia digna é uma necessidade fundamental de todas as pessoas, reconhecidamente consagrado como um Direito Humano. A outra face da moeda é a mercantilização da moradia social ou popular. No Peru, programas estatais de moradia social são dominados por empresas construtoras, impossibilitando a autonomia na construção por parte das famílias. O Banco Comercial, encarregado da colocação do subsídio estatal, acentua o problema, pois os pobres não conseguem se qualificar como grupo destinatário principal desses subsídios. O exemplo do Movimiento de los Sin Techo (MST) de Lima, Peru, rompe esquemas e barreiras, conquistando, através de sua persistência, o acesso à moradia digna.

Confira mais informações sobre esta prática no site do Almanaque do Futuro (em espanhol): https://almanaquedelfuturo.files.wordpress.com/2017/05/almanaque-al-futuro-3-web.pdf

Nome da entidade ou responsável: Movimiento de los Sin Techo