Projeto Rio Limpo, Cidade Saudável

Moradores da comunidade de Coqueiral, em Recife (PE) já enfrentaram sérias consequências advindas da poluição do Rio Tejipió, visto que o rio corta diversos bairros e enchentes são causadas sistematicamente pela falta de saneamento básico na região.

O Projeto Rio Limpo, Cidade Saudável nasce por meio de uma articulação entre igrejas locais, organizações de base comunitária e iniciativa privada pela mobilização social para incidência junto ao poder público, promoção de ações de educação ambiental e outras ações no enfrentamento a este sério problema socioambiental.

Nome da entidade ou responsável: Conselho Interdenominacional de Pastores e Lideres Evangélicos (Cipel)


Gestão do território

A expansão indiscriminada da fronteira agrícola para as áreas de páramo coloca em risco o suprimento de água de toda uma população. Diante dessa situação, a comunidade de Chilco teve que mudar sua lógica na gestão territorial, limitando o acesso ao páramo e restaurando os colchões de água. Essa decisão estratégica na gestão de seu território ajudou a consolidar as economias familiares da comunidade.

Confira mais informações sobre esta prática no Almanaque do Futuro: bit.ly/2IySdUe

Nome da entidade ou responsável: Fundación Social Cultural Ibarra


Protegendo as Águas

O distrito de São Francisco Xavier está localizado na Serra da Mantiqueira e tem como seu principal rio o Rio do Peixe, também um dos principais afluentes do Rio Paraíba do Sul e prioritário dentro do Plano de Ações do Comitê das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul para ações de recuperação ambiental e revitalização de corpos d´água. Este Rio corta o Distrito e faz parte do dia a dia da comunidade. Contudo, com a ocupação humana desordenada, o mesmo vem sofrendo as consequências da mudança da paisagem. Antes utilizado para lazer e outras atividades, hoje já apresenta trechos poluídos (com esgoto doméstico). Assim, o projeto Protegendo as Águas pretende atuar promovendo ações de conservação e manutenção dos recursos hídricos desta microbacia.

Nome da entidade ou responsável: Biblioteca Solidária / Sidnei Pereira da Rosa


Revitalização popular do Rio dos Cochos

Na zona rural dos municípios de Januária e Cônego Marinho, norte de Minas Gerais, 300 produtores rurais dependem da água do Rio dos Cochos, um dos subafluentes do Rio São Francisco. Prejudicado há pelo menos 30 anos pelo assoreamento decorrente do desmatamento e da plantação intensiva de eucalipto, o rio passou por um processo de revitalização liderado pelos agricultores das comunidades do entorno, desde 2012. A iniciativa de revitalização nasceu em um dos encontros da Articulação do Semiárido (ASA), que reúne pessoas, redes e associações com a proposta de “convivência com o semiárido”.

Nome da entidade ou responsável: Cáritas Brasil