Apicultura no Manguezal

No projeto Goiamum, catadores de caranguejo da comunidade de Gameleira da Barra Nova são capacitados com técnicas de apicultura em manguezal e, ao final, recebem até certificados. As abelhas são capturadas do mangue com macacão, máscara, luva e pó de serra e depois são tratadas com todo o carinho. O cultivo de abelhas e o mel proveniente delas se torna uma alternativa de renda para as famílias que dependem do mangue durante a época de reprodução do caranguejo, além de ser uma forma de cuidado e preservação do local.

Confira o vídeo com a reportagem sobre a prática: https://globoplay.globo.com/v/1862245/

Nome da entidade ou responsável: Instituto Goiamum


Fórum Diálogo Amazonas: Reforma Agrária Urgente!

O “Fórum Diálogo Amazonas: regularização fundiária urgente” foi criado em 2012 por iniciativa de três organizações da sociedade civil: Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), Comissão Pastoral da Terra (CPT) e Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), com a premissa de reunir numa mesma mesa os órgãos fundiários responsáveis pela regularização fundiária no Amazonas. O fórum conta com a assessoria jurídica da Procuradoria Geral do Estado do Amazonas (PGE/AM) e do Ministério Público Federal do Amazonas (MPF/AM). Sua dinâmica de funcionamento está balizada na realização periódica de uma grande plenária com órgãos fundiários do governo brasileiro e representantes comunitários, entremeadas por reuniões mensais do GT.

Nome da entidade ou responsável: IEB - Instituto Internacional de Educação do Brasil


Recuperação de território indígena

A Operação Amazônia Nativa (OPAN) atua pelo fortalecimento do protagonismo indígena no cenário regional, valorizando sua cultura e seus modos de organização social através da atuação nas áreas de cultura, educação, saúde, economia e qualificação das práticas de gestão de seus territórios e recursos naturais, com autonomia e de forma sustentável.

Nome da entidade ou responsável: Operação Amazônia Nativa (OPAN)


Caminho do Melhor Negócio da Castanha

A Cooperativa Mista Extrativista dos Quilombolas do Município de Oriximiná, conhecida como Cooperativa do Quilombo (CEQMO), foi criada em 2005 como um desdobramento das ações da ARQMO – Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná, localizado em uma região conhecida como Calha Norte na Amazônia, e da Comissão Pró-Índio de São Paulo. O intuito é tornar o negócio da castanha uma opção de geração de renda econômica e ambientalmente sustentável para os quilombolas.

Nome da entidade ou responsável: Cooperativa do Quilombo de Oriximiná (CEQMO) e Comissão Pró-Índio de São Paulo (CPISP)


Pacto das Águas

O Pacto das Águas promove alternativas de geração de renda às comunidades da Amazônia apoiando a estruturação das cadeias de produtos da sociobiodiversidade já utilizados pelas comunidades, assim como de outros potenciais existentes em suas terras. O Pacto desenvolve um projeto de mesmo nome, na região Noroeste de Mato Grosso e Leste de Rondônia, que tem como meta estimular e consolidar estratégias de desenvolvimento pautadas na manutenção da floresta e respeito à cultura das populações tradicionais.

Nome da entidade ou responsável: Pacto das Águas


Programa Liderar e Projeto Formar – capacitação na Amazônia

O IEB dedica-se a formar e capacitar pessoas, bem como fortalecer organizações nas áreas de manejo dos recursos naturais, gestão ambiental e territorial e outros temas relacionados à sustentabilidade na região da Amazônia brasileira. O IEB atua em rede, busca parcerias e promove situações de interação e intercâmbio entre organizações da sociedade civil, associações comunitárias, instâncias de governo e o setor privado. Como uma organização de ações educativas, incorpora os saberes de parceiros, as diferentes culturas e as técnicas populares.

Nome da entidade ou responsável: Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB)


Movimento de Resistência Indígena Ipereg Ayu

Após a Fundação Nacional do Índio (FUNAI) negar a demarcação das terras da etnia indígena Munduruku com a justificativa de que na área colidem povos indígenas com empreendimentos (no caso, o projeto do governo federal de construção da Usina Hidrelétrica São Luiz do Tapajós), o Movimento se organizou para autodemarcação da terra indígena Daje Kapap Eypi, localizada nos municípios de Itaituba e Trairão, oeste do Pará, e exigir que se cumpra o direito à consulta prévia, livre e informada garantido pela Constituição de 1988 e pela Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Nome da entidade ou responsável: Etnia Munduruku


Rede Sementes do Xingu – coleta e comercialização de sementes nativas

A Rede de Sementes do Xingu (RSX) nasceu em 2007 para atender o crescimento da demanda por sementes de espécies nativas para plantios de restauração no âmbito da Campanha Y Ikatu Xingu, de 2006. A ideia é simples: uma rede de trocas e encomendas de sementes de árvores e outras plantas nativas da região do Xingu, Araguaia e Teles Pires, promovendo os conhecimentos locais sobre uso e recuperação das florestas e cerrados do Mato Grosso.

Nome da entidade ou responsável: Instituto Socioambiental (ISA)